associação comercial e industrial de arcos de valdevez e ponte da barca

ACIAB apresentou Candidatura a Formação Modular 2017-2018

in Formações
Création : 23 février 2017

A formação profissional é cada vez mais valorizada pelo mundo empresarial, caminhamos para o paradigma da formação profissional como um investimento na criação de valor.

No sentido de capacitar empresários e colaboradores do tecido empresarial dos concelhos de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, a ACIAB em colaboração com a CCP – Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, apresentou uma candidatura a formação modular para o ano de 2017 e 2018, ao POISE – Programa Operacional de Inclusão Social e Emprego em diversas áreas de formação, de forma a suprir as necessidades de formação de todos os associados.

Aguardamos os resultados da candidatura neste primeiro trimestre do ano 2017, pois a formação profissional começa a ser vista como uma forma muito importante de valorização do trabalhador e da empresa, cria conhecimentos, capacidades, desenvolve competências e aumenta valor para a empresa.

Outra das funções da formação profissional é o cumprimento legislativo do Código do Trabalho segundo o artigo 131, relativo à subsecção II Formação Profissional, refere o seguinte:

A entidade empregadora deve assegurar a cada trabalhador, em cada ano civil, um número mínimo de trinta e cinco horas de formação contínua. Quando se trata de um contrato a termo por um período igual ou superior a três meses, a lei impõe um número mínimo de horas proporcional à duração do contrato no correspondente ano;

Para além disso, em cada ano civil a entidade empregadora deve garantir formação contínua a pelo menos 10% dos trabalhadores da empresa.

Num cenário em que a concorrência é cada vez maior devido a globalização do mercado, a empresa e colaboradores assumem-se como principais fatores diferenciadores da competitividade do seu negócio. Deste modo, a formação assume um papel preponderante na criação de vantagens como:

Incrementa a produtividade e rentabilidade, a baixa taxa de qualificação dos portugueses comparada com a maioria dos países europeus é um problema socioeconómico, as empresas acabam muitas vezes por refletir esta problemática devido aos baixos índices de produtividade e rentabilidade. A formação profissional é uma das formas para elevar os níveis de produtividade das empresas.

Garante a criação e validação de conhecimentos, através da formação os trabalhadores das empresas mantém e renovam a certificação de alguns cursos, aumentam conhecimentos e competências, atualizam-se sobre tendências de mercado, legislação, tecnologia e exigências práticas nas suas ocupações profissionais.

Diferencia profissionais, num mercado de trabalho saturado a formação profissional é que diferencia e valoriza os profissionais.

Invista na formação profissional dos seus recursos humanos para obter melhores resultados, quer ao nível da qualificação dos trabalhadores, quer ao nível da produtividade!