associação comercial e industrial de arcos de valdevez e ponte da barca

Inovação organizacional: benefícios e estratégias

in Notícias Gerais
Criado em 20 março 2017

A inovação organizacional é a aplicação de estratégias empresariais que promovam um lugar de destaque e aumentem a competitividade.

A inovação organizacional verifica-se quando são criados ou postos em prática novos métodos organizacionais no exercício do negócio empresarial, seja no local de trabalho ou nas relações com o mercado, fornecedores e distribuidores.

Empresas inovadoras estão sempre à procura de novas estratégias que lhes garantam um posição de destaque e maior competitividade. A aplicação destas estratégias ou práticas de gestão só vão ter sucesso se todos forem envolvidos no processo de inovação.

É necessário que os colaboradores assumam também o compromisso perante os desafios estabelecidos pelo mercado. Assim sendo, as empresas implementam ferramentas e métodos que envolvam o desempenho dos seus profissionais para conseguir mudanças e atingir novos objetivos.

INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL: BENEFÍCIOS

Atualmente, não é possível a uma empresa sobreviver sem inovação e os processos de inovação dependem também de uma boa gestão dos recursos humanos para redefinir áreas de atuação e novas indústrias com sucesso.

É fundamental para as empresas construírem uma cultura organizacional com a qual os profissionais se identifiquem. Uma cultura organizacional participativa permite que os profissionais vejam como seus os objetivos e metas de negócio da empresa.

A gestão ou a liderança de uma empresa deve inspirar os seus trabalhadores a conseguir mais e melhor, ou seja, manter os seus colaboradores motivados, promovendo o desenvolvimento das competências individuais e o conhecimento como um todo.

Criar profissionais qualificados e reter esses profissionais são os objetivos das estratégias de inovação organizacional porque só assim é possível ter um ambiente empresarial propício para inovar.

INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL: ESTRATÉGIAS

Promover recursos humanos qualificados;

Promover o reconhecimento  financeiro  e profissional;

Disponibilizar formação e atualização de conhecimentos;

Oferecer boas  condições  de  trabalho;

Promover o relacionamento de confiança e de colaboração entre colegas e chefias;

Criar ambientes de auto-aprendizagem;

Desenvolver ambiente propício à criatividade que envolvam todos, clientes e fornecedores também;

Horários  de  trabalho  flexíveis;

Incentivar as associações culturais e intelectuais que podem até originar novas competências e contributos para a inovação organizacional;

Promover uma gestão participativa;

Programar novas  contratações com intenção de trazer e difundir novos conhecimentos;

Criar ferramentas de comunicação interna;

Aplicar processos de benchmarking.

Fonte: e-konomista.pt, 20/03/2017